"Computadores são rápidos, precisos e estúpidos. Humanos são lentos, imprecisos e brilhantes. Juntos eles são mais poderosos que se pode imaginar." Albert Einstein

Eleve sua expectativa de si mesmo

Um dos primeiros efeitos de se aproximar do processo de coaching é o de elevar sua expectativa de si mesmo. Muitas vezes o coaching passa pela criação de uma leve aversão à mediocridade, de modo que deixamos de tolerar situações limitantes que nos deixam bem aquém de nosso potencial. Ao elevar a expectativa, estamos apostando em nossa "Auto-Eficácia" - a crença nas próprias habilidades de organizar e executar as fontes de ação necessários para se lidar com situações no futuro.

Vamos definir aqui o que é uma expectativa. Ela á uma projeção do que achamos que vai acontecer no futuro. Quando se trata de uma expectativa de nosso próprio desempenho, usamos nossa imaginação para criar um cenário de nós mesmos tendo um determinado resultado. Este cenário é registrado por nosso cérebro e serve como guia mental para o comportamento e as competências que vamos (ou não) manifestar para conseguir o desempenho que queremos.

Robert Dilts, da NLP University (www.nlpu.com) desenvolve processos de PNL inspirados nas pesquisas de Dr. Albert Bandura, na área da psicologia cognitiva. Seus estudos se concentraram na relação entre expectativas positivas e o desempenho comportamental efetivamente produzido. A grande conclusão que resultou de seus estudos é que as pessoas podem regular a ativação de seu desempenho através de uma crença apoiadora de sua própria eficácia em agir para conseguir o que querem. A expectativa em si mesmo é uma expressão desta crença apoiadora.

Em suas pesquisas, Bandura testou quatro maneiras de influenciar as expectativas e descobriu que há estratégias mais eficazes que outras. O primeiro fator que Bandura testou foi a persuasão verbal. Esta tática de elevar a expectativa das pessoas envolve palavras de apoio, dizendo-se diretamente a elas que podem conseguir um desempenho melhor. Seria o tipo de comentário: "Você consegue! Você pode! Sei que você pode!". E isto de fato funciona - em certo grau de eficácia. Tanto que muitas pessoas buscam ter esse contato com leituras e palestras em que vão ouvir justamente isso: "Você pode! Você consegue!" e gostam disso. Esta abordagem pode ser uma inspiração à motivação e à ação. No entanto, nas pesquisas, deu como a maneira mais fraca dentre as quatro testadas.

Mais eficaz que isso é ter um modelo de excelência - um exemplo de alguém conhecido que conseguiu um bom resultado. Isto vai direto aumentar a crença "É possível!". Existe um exemplo concreto de uma proeza realizada e sabemos que aquilo é possível. Quando, por exemplo, uma celebridade faz um tratamento para emagrecer e consegue um resultado significativo, as pessoas vão ver com seus próprios olhos que aquilo aconteceu. Quando lemos a auto-biografia de um grande empresário que obteve êxito extraordinário, podemos nos animar para nos aventurarmos em um empreendimento nosso. Atende aos critérios de ver para crer. O que faz disso menos eficaz para aumentar a expectativa é que conseguimos creditar o sucesso ao outro por ser especial ou por ter conseguido uma orientação excepcional à qual não teremos acesso: "Fulano, tudo bem...mas euzinho?"

Mais forte ainda para aumentar a expectativa é o que Bandura chama de "Aprendizagem Vicária". Quando observamos o bom desempenho de uma pessoa que consideramos mais ou menos igual a nós, tendemos a pensar, "Bem, se Fulano consegue, eu devo conseguir também." Fazemos uma comparação favorável, acreditamos mais em nossas próprias possibilidades de sucesso por ter um exemplo tão próximo. Pessoas que trabalham em equipes bem relacionadas se estimulam a seguir os exemplos uns dos outros e a aprendizagem de um acelera a aprendizagem de outros. Pais conhecem este fenômeno quando observam o irmãozinho jurando que vai conseguir fazer igual ao seu irmão maior e se põem a fazer justamente isso, o mais rapidamente possível. Quando participantes do curso Practitioner em PNL, ou outros cursos de formação começam a ter resultados em suas vidas, é mais empolgante para a turma do que relatos de livros, pois mexe muito mais com a crença "Então, eu posso também."

Mas, de todas as maneiras de se influenciar a expectativa positiva do futuro que acaba estimulando o desempenho é o da "Maestria Auto-Decretada". Este fator acontece quando uma pessoa acredita que está melhorando, em termos de desempenho, dentro de uma "curva de aprendizagem". Ela acredita que seu desempenho no passado não determina o quão bem vai conseguir no futuro, inclusive tem toda expectativa de ter um desempenho cada vez melhor à medida que desenvolve suas habilidades, incrementalmente. Torna-se natural esperar um aprimoramento do tipo: "Se desta vez eu melhorei um tanto, imagina a próxima vez!". A expectativa positiva do futuro ajuda a re-enquadrar resultados aquém do desejado, pois a pessoa com sua maestria auto-decretada acredita que naturalmente vai superar isso. Todos nós temos competências "latentes" que são ativadas sob um bom efeito desta crença positiva em nossa eficácia pessoal.

O "perigo" da maestria auto-decretada é quando uma pessoa eleva sua expectativa de sucesso para as nuvens, extrapolando mega-resultados porque começou muito bem. Na vida real, nem sempre os resultados continuam melhorando como em um gráfico perfeito sempre ascendente. Há momentos em que chegamos ao limite atual de competências "latentes" e que precisamos desenvolver novas estratégias, que significa se deparar, por uma fase, com uma incompetência temporária. Neste momento, muitas pessoas se desmoronam, pouco capazes de lidar com uma queda de desempenho. O processo de coaching entra neste momento para fortalecer crenças apoiadoras e re-enquadrar e transformar crenças limitantes, para que a pessoa possa retornar à sua curva de aprendizagem, mesmo que a curva tenha experimentado uma oscilação.

Sobre a Autora:

Arline Davis é americana, bióloga pela University of California, estuda comportamento humano há mais de 25 anos. Ministra seminários internacionalmente. Radicada há 17 anos no Brasil. Master Trainer em Programação Neurolinguística (PNL), formada com os criadores desta tecnologia de excelência humana. Diretora do

Instituto Núcleo Pensamento & Ação.

Comentários   

+1 #2 Madalena Maria de Omena 15-01-2006 07:00
O que posso fazer para mudar a minha rotina, pois, não estou coseguindo êxito nas coisas que to buscando. O que eu poderia fazer ?
Citar
+1 #1 Aragão 15-01-2006 07:00
Em minha area de trabalho devido a impossibiliadad e de uma atuação mais pontual, posso experienciar mudanças comportamentais em nosso quadro de funcionários da Construção civil, percebendo um desempenho melhor exatamente pela persuasão verbal, peço a todos diariamente, antes do inicio das atividades, que mentalizem suas tarefas e após todos repetem: Eu consigo, Eu posso, Eu mereço!!. Pode ser a menos eficaz, mas o resultado valeu!!
Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

IBC

banner-descubra-pnl-v3 ibc

Anúncios Google

IBC

banner-descubra-pnl-v3 ibc

Thalentos

thalentos 2014

Ideah

Instituto Ideah

Congresso PNL 2017

banner-congresso