"Computadores são rápidos, precisos e estúpidos. Humanos são lentos, imprecisos e brilhantes. Juntos eles são mais poderosos que se pode imaginar." Albert Einstein

Fé como competência

Quando me pergunto que a competência faria toda diferença na vida de um executivo, penso que a fé é uma competência que faz a diferença num cenário onde fazer a diferença é tudo.
Há alguns anos, através dos processos de coaching e de Leadership, tenho feito uma reflexão sobre os executivos que tem sucesso e quais são as causas determinantes e concluo que uma delas é a fé.
Na PNL, a fé desenvolve um papel essencial na vida e em todas as suas áreas, onde apresenta, de forma explícita seus poderes através do corpo, mente e definitivamente a partir dos resultados apresentados.
A fé ainda está muito vinculada à religião e a conexão que cada um pode fazer com Deus, considerando isso, também é possível acreditar que essa competência está disponível a todos.
Retomando assim uma premissa que aprecio muito na Programação Neurolinguistica que diz que todos têm os recursos que objetivarmos.
Agora vamos pensar no mundo corporativo, e o que significa a fé nesse contexto.
Basta lembrar que, independente da opção religiosa, todos concordam que a fé é um componente essencial para que se operem milagres. A fé antecede os resultados. Todas as religiões são unânimes em argumentar que é importante primeiro acreditar para depois obter o resultado. E acreditar é literalmente acreditar no melhor, seja o que for, será o melhor. Existe aqui uma ausência de controle, aquele controle angustiante, de querer controlar o que é inviável.
Colocar a fé em pratica significa acreditar que o melhor sempre acontece quando se está preparado para desenvolver os desafios que a função determina.
Quando há crédito em relação ao melhor, inicia-se o mecanismo de fé e como conseqüência a ansiedade diminui para ceder lugar à serenidade.
O executivo que tem fé acredita no melhor e atua para essa conquista, desenvolvendo estratégias que favorecem o resultado esperado.
Outro fator que demonstra fé é ter um objetivo. Quem tem fé tem uma meta, algo que define suas ações e também suas convicções. Normalmente é algo importante e que tem reflexos em todos os setores da vida, tanto na sua quanto na vida dos outros.
O executivo que pratica sua fé como competência tem conhecimento dos seus objetivos, sabe exatamente o que quer conquistar e sabe os reflexos da conquista na empresa, na vida dos colaboradores e na sua vida profissional e pessoal.
A fé também tem uma chamada para a responsabilidade individual, você é o dono da ação.
Basta estabelecer um paralelo com a religião, DEUS esta presente 100% do tempo, influenciando sempre os acontecimentos, mesmo que o devoto tenha total incompreensão sobre os desejos de Deus, ele tem a responsabilidade de fazer sua parte, escolher sua posição e confiar no que está fora das suas mãos.
O executivo que tem fé assume o que é da sua responsabilidade, o que é seu será realizado e mesmo que não compreenda algumas adversidades irá utilizá-las para gerar resultados. Atua, com a pro - atividade e com foco em soluções.
A fé também torna as pessoas mais sensíveis às causas humanas. Todos os grandes líderes religiosos desenvolveram empatia (rapport), respeitando sempre a singularidade de cada individuo.
Os executivos que praticam a fé têm sensibilidade diante das questões humanas e também se mostra humano, aproximando- se dos colaboradores. A fé também traz a inovação, basta pensar nos milagres, que demonstram formas diferentes muitas vezes da solução convencional.
O executivo quando tem fé está em busca de alternativas para chegar aos resultados, constrói saídas inovadoras. O executivo que é possuidor de fé confia na existência de soluções que tragam resultados. A fé proporciona um alinhamento, que na vida espiritual é chamada de paz. Na PNL chamamos de congruência, que significa ter uma atitude que traduz o pensamento, fala e inspirações. Um executivo de atitude congruente inspira confiança e transmite equilíbrio.
O Executivo torna-se um inspirador. Também é possível percebemos a fé através da entrega, e do comprometimento. Quando estamos com fé, estamos conectados com o presente.
Ser um executivo disponível para perceber o que esta acontecendo no aqui e agora, mantendo sua visão de futuro e um grande diferencial. Alguém que escuta, vê e sente o que se passa com sua equipe, no mercado, com o cliente, acionistas, concorrência e consigo mesmo. O importante é que as organizações identifiquem em seus executivos essa competência ou construa processos de coaching que estimulem essas práticas, para que possamos ter a fé no mundo corporativo como uma fonte de sustentabilidade.
Quando me pergunto que a competência faria toda diferença na vida de um executivo, penso que a fé é uma competência que faz a diferença num cenário onde fazer a diferença é tudo.

Há alguns anos, através dos processos de coaching e de Leadership, tenho feito uma reflexão sobre os executivos que tem sucesso e quais são as causas determinantes e concluo que uma delas é a fé.

Na PNL, a fé desenvolve um papel essencial na vida e em todas as suas áreas, onde apresenta, de forma explícita seus poderes através do corpo, mente e definitivamente a partir dos resultados apresentados.

A fé ainda está muito vinculada à religião e a conexão que cada um pode fazer com Deus, considerando isso, também é possível acreditar que essa competência está disponível a todos.

Retomando assim uma premissa que aprecio muito na Programação Neurolinguistica que diz que todos têm os recursos que objetivarmos. Agora vamos pensar no mundo corporativo, e o que significa a fé nesse contexto.

Basta lembrar que, independente da opção religiosa, todos concordam que a fé é um componente essencial para que se operem milagres. A fé antecede os resultados. Todas as religiões são unânimes em argumentar que é importante primeiro acreditar para depois obter o resultado. E acreditar é literalmente acreditar no melhor, seja o que for, será o melhor. Existe aqui uma ausência de controle, aquele controle angustiante, de querer controlar o que é inviável.

Colocar a fé em pratica significa acreditar que o melhor sempre acontece quando se está preparado para desenvolver os desafios que a função determina.

Quando há crédito em relação ao melhor, inicia-se o mecanismo de fé e como conseqüência a ansiedade diminui para ceder lugar à serenidade.

O executivo que tem fé acredita no melhor e atua para essa conquista, desenvolvendo estratégias que favorecem o resultado esperado.

Outro fator que demonstra fé é ter um objetivo. Quem tem fé tem uma meta, algo que define suas ações e também suas convicções. Normalmente é algo importante e que tem reflexos em todos os setores da vida, tanto na sua quanto na vida dos outros.

O executivo que pratica sua fé como competência tem conhecimento dos seus objetivos, sabe exatamente o que quer conquistar e sabe os reflexos da conquista na empresa, na vida dos colaboradores e na sua vida profissional e pessoal.A fé também tem uma chamada para a responsabilidade individual, você é o dono da ação.

Basta estabelecer um paralelo com a religião, DEUS esta presente 100% do tempo, influenciando sempre os acontecimentos, mesmo que o devoto tenha total incompreensão sobre os desejos de Deus, ele tem a responsabilidade de fazer sua parte, escolher sua posição e confiar no que está fora das suas mãos.

O executivo que tem fé assume o que é da sua responsabilidade, o que é seu será realizado e mesmo que não compreenda algumas adversidades irá utilizá-las para gerar resultados. Atua, com a pro - atividade e com foco em soluções.

A fé também torna as pessoas mais sensíveis às causas humanas. Todos os grandes líderes religiosos desenvolveram empatia (rapport), respeitando sempre a singularidade de cada individuo.

Os executivos que praticam a fé têm sensibilidade diante das questões humanas e também se mostra humano, aproximando- se dos colaboradores. A fé também traz a inovação, basta pensar nos milagres, que demonstram formas diferentes muitas vezes da solução convencional.

O executivo quando tem fé está em busca de alternativas para chegar aos resultados, constrói saídas inovadoras. O executivo que é possuidor de fé confia na existência de soluções que tragam resultados. A fé proporciona um alinhamento, que na vida espiritual é chamada de paz. Na PNL chamamos de congruência, que significa ter uma atitude que traduz o pensamento, fala e inspirações. Um executivo de atitude congruente inspira confiança e transmite equilíbrio.

O Executivo torna-se um inspirador. Também é possível percebemos a fé através da entrega, e do comprometimento. Quando estamos com fé, estamos conectados com o presente.

Ser um executivo disponível para perceber o que esta acontecendo no aqui e agora, mantendo sua visão de futuro e um grande diferencial. Alguém que escuta, vê e sente o que se passa com sua equipe, no mercado, com o cliente, acionistas, concorrência e consigo mesmo. O importante é que as organizações identifiquem em seus executivos essa competência ou construa processos de coaching que estimulem essas práticas, para que possamos ter a fé no mundo corporativo como uma fonte de sustentabilidade.

Sobre a Autora:

Dra. Márcia Dolores Resende, formada em psicologia e com formação completa em PNL (NLP Health Certification Training), Hipnose Ericksoniana e EMDR (Eye Movement Desensitization and Reprocessing), sendo treinada por profissionais que possuem uma grande experiência e um conceituado trabalho como: Robert Dilts, Suzi Smith, Tim Halbom, Steve Andreas, Teresa Robles e Dr. Stephen Gilligan.

 
 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

IBC

banner-descubra-pnl-v3 ibc

Anúncios Google

IBC

banner-descubra-pnl-v3 ibc

Thalentos

thalentos 2014

Ideah

Instituto Ideah

Congresso PNL 2017

banner-congresso